Concurso Ministério da Educação 2018: veja a previsão de edital!

Tempo de leitura: 6 minutos

O Ministério da Educação (MEC) recebeu autorização para que concursos novos seja realizado em 2018, sendo ele para 1.700 vagas. A autorização em si já é um pouco antiga: desde o dia 4 de abril, e o trâmite para que os editais sejam anunciados continua.

Provavelmente, os concursos do Ministério da Educação deste ano serão para vários níveis de escolaridade. Os tipos de instituições de ensino também serão de todos os níveis: há instituições federais que precisam de profissionais, por exemplo.

Concurso Ministério da Educação 2018: vagas

Os editais que o Ministério da Educação poderá lançar somam 1.700 oportunidades e, no mês de maio, já foi anunciado um certame com 1.025 vagas. Os cargos dizem respeito às universidades federais e são de técnico administrativo e também de professor, mas não há banca organizadora, por enquanto.

Esse anúncio de maio deixa claro que não serão apenas os professores a ser admitidos: os editais também trarão cargos para as áreas administrativas das instituições de ensino.

Veja também:

 

Concurso Ministério da Educação 2018: previsão

Uma gama alta de instituições precisa de profissionais, inclusive as escolas básicas. Por causa dessa necessidade, espera-se que o Ministério da Educação não demore tanto a anunciar o restante dos editais. Na realidade, o tempo entre a autorização recebida pelo MEC e esse primeiro edital já anunciado foi curto: menos de dois meses.

O fato de não se tratarem de editais apenas para professores também torna maios iminente a necessidade de eles serem anunciados logo. Isso porque a defasagem também chega à parte administrativa e a junção de dois segmentos sem profissionais suficientes impede que as instituições de ensino funcionem.

Remuneração

As remunerações para os professores têm diversas variáveis, como qual é a formação e quantas aulas esses profissionais têm na instituição de ensino. Entretanto, é simples considerar quanto os concursados da área administrativa podem receber: de acordo com o último concurso do Ministério da Educação para esse setor, que foi no ano de 2009, os vencimentos eram um pouco acima de R$ 1.900,00. Importa lembrar que tanto os professores quanto os concurseiros que tentarem a função administrativa terão benefícios trabalhistas.

Requisitos

Os editais do MEC serão para todas as escolaridades: para os docentes, é indispensável a graduação e, dependendo de qual seja o nível, também é exigido que eles tenham pós-graduação. Já para os profissionais da administração escolar, o nível é o médio/técnico, podendo haver cargos nesse setor também para o ensino superior.

Os diplomas e certificados dos concurseiros precisam ter o reconhecimento pelo próprio Ministério da Educação, além da necessidade de que os documentos militares, seja de dispensa ou a chamada reservista, estejam à disposição.

É necessário que os concurseiros tenham atestado médico favorável e que possuam a documentação eleitoral, que consistirá na certidão de quitação eleitoral ou, em vez dela, dos comprovantes de eleição. O Ministério da Educação também precisará que os concurseiros tenham o atestado psicológico favorável e é possível que se faça a investigação de antecedentes.

A banca organizadora

O edital que foi anunciado em maio ainda não possui banca organizadora, assim como os demais que ainda não foram divulgados. Contudo, o último certame do MEC foi feito pela CESPE e os concurseiros devem considerar que os editais de 2018 tenham a organização dela também.

Na CESPE, os candidatos têm as suas respostas certas canceladas cada vez que uma resposta errada é assinalada. Isso quer dizer que o candidato que responder erroneamente 2 questões terá outras duas certas anuladas, fazendo com que seja muito perigoso os concurseiros acabarem com nota bem baixa.

Outra dificuldade típica da banca CESPE é que ela inclui só as alternativas CERTO e ERRADO nas suas questões. Com isso, os candidatos precisam somente avaliar as sentenças e declararem se estão corretas. É claro que isso não permite que os concurseiros usem eliminação, sendo preciso que eles encontrem o indicativo de erro em pequenas minúcias dessas sentenças.

O que cai na prova?

Os concursos do Ministério da Educação ainda não têm nenhum conteúdo anunciado. Contudo, os que se inscreverem para docentes precisarão preparar-se com relação ao conteúdo pedagógico, assim como os conteúdos do seu próprio setor. Vale dizer que, no caso das instituições de ensino superior, haverá muito mais tipos de profissionais para se inscrever.

No campo administrativo, os conteúdos que são mais vistos são de Matemática e também de Arquivologia, bem como de Informática e ainda de Estatística. Cabe ressaltar que qualquer prova terá temas legislativos e que eles serão adaptados a cada cargo. Também é uma certeza de que os conteúdos administrativos vão incluir Raciocínio Lógico Matemático.

Atribuições do cargo

Os docentes de todos os níveis de escolaridade têm atribuições muito semelhantes, começando por criar as suas aulas e sempre considerando o conteúdo programático que a instituição e o próprio MEC definiram. Além disso, a criação das atividades avaliativas também compete aos docentes, bem como o cuidado com a gestão de faltas e de notas.

Os funcionários administrativos têm atribuições como tratar dos atendimentos aos professores e, por exemplo, as instituições que podem ter parcerias. Os documentos de todos os envolvidos nas instituições de ensino também são da competência administrativa, assim como os pagamentos e também os arquivamentos.

Qual é o melhor curso para o Concurso Ministério da Educação 2018?

Há concurseiros esperando pelos editais do Ministério da Educação há anos e é necessário que se use plano de estudo, porque a concorrência para cada um dos cargos será intensa. Além de plano de estudo, é fundamental utilizar materiais atualizados e poder contar com aulas, ou seja, com professores que tenham a didática adequada para quem é concurseiro.

Tudo isso é oferecido pelo Estratégia Concursos, que ainda têm o benefício de ser um preparatório online. Os concurseiros de qualquer idade se adaptam bem aos materiais, sendo a maioria das aulas na forma de videoaulas. Os concurseiros podem realizar exercícios e, caso acreditem que precisam de ainda mais, podem procurar pelo sistema de questões, que é uma forma adicional de se realizar simulados de muitas organizadoras.

Concurso Ministério da Educação 2018: veja a previsão de edital!
Avalie esse artigo!

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *